AS ASSIMETRIAS DISTRIBUTIVAS E OS IMPACTOS TRIBUTÁRIOS DA NÃO-CUMULATIVIDADE

  • Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque Fundação Getúlio Vargas

Resumo

O tempo vem comprovando, até mais rapidamente do que era esperado, a tese que venho defendendo há anos: a de que nas circustâncias sociais, econômicas e culturais do Brasil, a substituição dos tributos cumulativos por incidências não-cumulativas é um erro que poderá produzir consequências inesperadas.

Biografia do Autor

Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque, Fundação Getúlio Vargas

Possui graduação em Economia - Harvard College (1968), mestrado em Economia (M.A in Economics) - Harvard University (1976), mestrado em Planejamento Regional (M.R.P.in Regional Planning) - Harvard University (1974) e doutorado em Economia - Harvard University (1985). Atualmente é professor titular e vice-presidente da Fundação Getúlio Vargas. Foi Secretário do Planejamento do Município de São Paulo, Secretário de Finanças do Município de São Bernardo do Campo, Secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Município de São Paulo e Subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo. Foi Vereador e Deputado Federal. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em política fiscal e tributária do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: imposto único, economia, economia brasileira, tributação e finanças públicas.

Publicado
2015-08-18
Como Citar
Albuquerque, M. (2015). AS ASSIMETRIAS DISTRIBUTIVAS E OS IMPACTOS TRIBUTÁRIOS DA NÃO-CUMULATIVIDADE. Revista Da Faculdade De Direito De São Bernardo Do Campo, 10. Recuperado de https://revistas.direitosbc.br/index.php/fdsbc/article/view/408
Seção
Artigos