A ATUALIZAÇÃO JUDICIAL DA CONSTITUIÇÃO ORIGINÁRIA PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL À LUZ DA TEORIA DOS SISTEMAS SOCIAIS

  • Gabriel Ferreira da Fonseca Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Teoria dos sistemas, Supremo Tribunal Federal, Jurisdição Constitucional, Constituição Originária

Resumo

O presente trabalho objetivou empreender uma análise, à luz da teoria dos sistemas sociais autopoiéticos, desenvolvida pelo sociólogo alemão Niklas Luhmann, da atuação do Supremo Tribunal Federal em sede de jurisdição constitucional. Para tanto, analisou-se uma das aporias da dogmática constitucional pátria: a questão das normas constitucionais originárias inconstitucionais no sistema jurídico brasileiro e da possibilidade ou não da realização do seu controle de constitucionalidade pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Neste caminho, investigou-se o entendimento consolidado pelo STF acerca da matéria e, em seguida, tal estabilização de expectativas foi confrontada com um caso paradigmático, julgado por este tribunal em 2011, referente ao reconhecimento das uniões estáveis homoafetivas enquanto entidade familiar no direito brasileiro. A hipótese que se buscou testar foi a de que é possível colocar o problema a partir de referenciais sistêmicos e compreender a atividade criativa protagonizada pelo Supremo, neste e em outros casos, como uma atualização judicial da Constituição Originária. Por fim, enfrentou-se a questão dos limites, possibilidades e riscos desta criação judicial do direito.

Biografia do Autor

Gabriel Ferreira da Fonseca, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Advogado, mestrando em Filosofia do Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), especialista em Direito Civil pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), bacharel em Direito pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Referências

BACHOF, Otto. Normas Constitucionais Inconstitucionais?. Tradução de José Manuel M. Cardoso da Costa. Coimbra: Atlantida Editora, 1977.

BRASIL. Conselho Federal de Psicologia. Resolução nº 001/99, de 1999. Estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da Orientação Sexual. CFP, Brasília, 1999. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2015.

______. Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 815/DF. Relator: Ministro Moreira Alves. Tribunal Pleno. Brasília, 29 mar. 1996. Diário de Justiça, 10 maio 1996.

______. Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 2883/DF. Relator: Ministro Gilmar Mendes. Tribunal Pleno. Brasília, 30 ago. 2006. In: Diário de Justiça, 09 mar. 2007.

______. Supremo Tribunal Federal. Agravo Regimental na Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.097-9/DF. Relator: Ministro Cezar Peluso. Tribunal Pleno. Brasília, 08 out. 2008. In: Diário de justiça, 06 nov. 2008.

______. Supremo Tribunal Federal. Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 132/RJ. Relator: Ministro Ayres Britto. Tribunal Pleno. Brasília, 05 maio 2011. In: Diário de Justiça, 14 out. 2011.

CAMPILONGO, Celso Fernandes. A posição dos tribunais no centro e na periferia do sistema mundial. In: PIOVESAN, Flávia (coord.). Direitos humanos, globalização econômica e integração regional: desafios do direito constitucional internacional. São Paulo: Max Limonad, 2002, p. 477-490.

______. Direito e diferenciação social. São Paulo: Saraiva, 2011a.

______. Política, sistema jurídico e decisão judicial. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2011b.

CUNHA JÚNIOR, Dirley da. Controle de Constitucionalidade: Teoria e Prática. Salvador: JusPODIVM, 2006.

DE GIORGI, Raffaele. Direito, Democracia e Risco: vínculos com o futuro. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1998.

LUHMANN, Niklas. A Constituição como Aquisição Evolutiva. Tradução para uso acadêmico de Menelick de Carvalho Netto, Giancarlo Corsi e Raffaele De Giorgi. Não publicado.

______. A Posição dos tribunais no sistema jurídico. Revista AJURIS, Porto Alegre: Ajuris, n. 49, ano XVII, jul., 1990, p. 149-168.

______. El derecho de la sociedad. Tradução de Javier Torres Nafarrate. Ciudad de México: Herder e Universidad Iberoamericana, 2005.

______. Introdução à Teoria dos Sistemas. Tradução de Ana Cristina Arantes Nesser. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

______. Sociologia do Direito II. Tradução de Gustavo Bayer. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 1985.

MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional. 18. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

NEVES, Marcelo. A Constitucionalização Simbólica. 3. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

______. Entre Hidra e Hércules: princípios e regras constitucionais como diferença paradoxal do sistema jurídico. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

______. Entre Têmis e Leviatã: uma relação difícil: o Estado Democrático de Direito a partir e além de Luhmann e Habermas. 3. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

______. Transconstitucionalismo. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

PEDRON, Flavio Quinaud. A função dos tribunais constitucionais para a teoria dos sistemas de Niklas Luhmann. In: Revista CEJ/Conselho da Justiça Federal, Brasília, n. 29, p. 101-110, abr./jun. 2005.

SIMINOI, Rafael Lazzarotto; BAHIA, Alexandre Gustavo Melo Franco. Como os juízes decidem? Proximidades e divergências entre as teorias da decisão de Jürgen Habermas e Niklas Luhmann. In: Revista Seqüência, n. 59, p. 61-88, dez. 2009.Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2015.

STRECK, Lenio Luiz; BARRETTO, Vicente de Paulo; OLIVEIRA, Rafael Tomaz de. Ulisses e o canto das sereias. Sobre ativismos judiciais e os perigos da instauração de um terceiro turno da constituinte. In: Jus Navigandi, Teresina, ano 14, n. 2218, 28 jul. 2009. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2015.

VELOSO, Zeno. Controle Jurisdicional de Constitucionalidade. 3. ed. Belo Horizonte: Del Rey Editora, 2003.

17 DE MAIO: Dia Internacional de Combate à Homofobia. ANPG, São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2015.
Publicado
2015-11-24
Como Citar
Fonseca, G. (2015). A ATUALIZAÇÃO JUDICIAL DA CONSTITUIÇÃO ORIGINÁRIA PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL À LUZ DA TEORIA DOS SISTEMAS SOCIAIS. Revista Da Faculdade De Direito De São Bernardo Do Campo, 21(1). Recuperado de https://revistas.direitosbc.br/index.php/fdsbc/article/view/295
Seção
Artigos