Mídia e Processo Penal: a coexistência da liberdade de informar e o Princípio da Presunção de Inocência

  • Yuri Felix COMPLETAR
  • Alessandro Maciel Lopes
  • Vicente Cardoso de Figueiredo
Palavras-chave: Direitos Fundamentais, Processo Penal, Presunção de Inocência, Mídia, Liberdade

Resumo

As páginas a seguir abordarão a problemática questão e tormentosa coexistência envolvendo a mídia, principalmente a jornalística e seu direito de informar e o processo penal, sobretudo quando a temática gira em torno dos direitos fundamentais do indivíduo, como a imagem e a intimidade daqueles que estejam figurando como sujeitos de investigação policial ou se encontrem como acusados em um processo penal. Procura-se aqui traçar algumas linhas para o debate, ponderando visões e limites, estabelecendo algumas premissas basilares para que a discussão do tema não gire apenas em torno de percepções reducionistas ou totalizadoras dos pontos abordados.

Biografia do Autor

Yuri Felix, COMPLETAR
COMPLETAR

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é contemporâneo? E outros ensaios. Tradução de Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

ANDRADE, Fabio Martins de. Mídia e Poder Judiciário – a influência dos órgãos da mídia no processo penal brasileiro. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.

ARAUJO, Luiz Alberto David; NUNES JUNIOR, Vidal Serrano. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2002.

BARROS, Luiz Ferri. O sensacionalismo da imprensa na cobertura de crimes de natureza psicopatológica e suas consequências. Seminário Internacional – Imprensa investigativa: sensacionalismo e criminalidade. In Revista CEJ. Brasília, nº 20, Janeiro-Março/2003, pág.23-29. Internet: Disponível em: http://www2.cjf.jus.br/ojs2/index.php/revcej/article/viewFile/518/699, acesso em: 10/11/2013.

BARROSO, Luis Roberto. Liberdade de expressão, censura e controle da programação de televisão na Constituição de 1988. In Temas de Direito Constitucional. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

BASTOS, Márcio Thomaz. Júri e Mídia. Tribunal do Júri: estudos sobre a mais democrática instituição jurídica brasileira. In TUCCI, Rogerio Lauria (Coord.). São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999.

BERGER, Christa. Campos em confronto: a terra e o texto. 2ª Edição, Porto Alegre: UFRGS, 2003.

BULOS, Uadi Lammêgo. Constituição Federal Anotada. São Paulo: Saraiva, 2005.

CANOTILHO, J. J Gomes; MOREIRA, Vital. Constituição da República Portuguesa Anotada. Coimbra: Coimbra, 1993.

CARNELUTTI, Francesco. As Misérias do Processo Penal. Campinas: Bookseller, 2002.

FAYET JUNIOR, Ney (org.) Ensaios Penais em homenagem ao Professor Alberto Rufino Rodrigues de Souza. Porto Alegre: Ricardo Lenz, 2003.

FERRAJOLI, Luigi. Direito e Razão–Teoria do Garantismo Penal. Tradução de Ana Paula Zomer Sica, Fauzi Hassan Choukr, Juarez Tavares e Luiz Flávio Gomes. 3ª Edição, São Paulo: Revista dos Tribunais, 2010.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir–história da violência nas prisões. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

GOMES, Luiz Flávio. Mídia e Criminalidade. Internet: disponível em: http://www.ibccrim.org.br/artigo/578-Artigo:-Midia-e-criminalidade. Acesso em 10/11/2013.

LOPES JUNIOR, Aury. Direito Processual Penal10ª Edição, São Paulo: Saraiva, 2013. MELIÁ, Manuel Cancio.
De nuevo “derecho penal” del enemigo? In Direito Penal em Tempos de Crise. STRECK, Lenio (org.). Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.

MELLO, Celso Antonio Bandeira de. Curso de Direito Administrativo,5ª ed. São Paulo: Malheiros, 1994.

POZZEBON, Fabrício Dreyer de Ávila. Mídia, Direito Penal e Garantias. In GAUER, Ruth Maria Chittó. Criminologia e Sistemas Jurídico-Penais Contemporâneos. 2ª Edição, Porto Alegre: Edipucrs, 2012.

RAMONET, Ignacio. A Tirania da Comunicação. 2ª Edição, Tradução de Lúcia Mathilde Endlich Orth. Petrópolis: Vozes, 2001.

SANTOS, Cleopas Isaías e BOSCHI, Marcus Vinícius. Expectativas Normativas, celeridade e processo penal: o indevido encontro. In POZZEBON, Fabrício Dreyer de Ávila e DE ÁVILA, Gustavo Noronha (Organizadores). Crime e Interdisciplinaridade–Estudos em homenagem à Ruth M. Chittó Gauer. Porto Alegre: Edipucrs, 2012.

SCHMITT, Ricardo Augusto (Organizador). Princípios Penais Constitucionais. Salvador: Juspodium, 2007.

SCHREIBER, Anderson. Direito e Mídia. In “Direito e Mídia”. São Paulo: Atlas, 2013.

SILVA, José Afonso. Curso de Direito Constitucional Positivo. São Paulo: Malheiros, 2008.

SOUZA NETTO, Jose Laurindo de. A colisão de direitos fundamentais: O direito à privacidade como limite da liberdade de informação. Internet: disponível em: http://tj.pr.gov.br/download/cedoc/ArtigoJuizJos%C3%A9LaurindoSouzaNetto.pdf. Acesso em 12/11/2013.
STRECK, Lênio Luiz e MORAIS, José Luiz Bolzan de (Organizadores). Constituição, Sistemas Sociais e Hermenêutica. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2008.

TONDO, Rômulo e NEGRINI, Michele. Jornalismo televisivo e Espetacularização: uma análise do discurso do programa Brasil Urgente. Internet: disponível em: http://www.academia.edu/425194/Jornalismo_Televisivo_e_Espetacularizacao_uma_analise_do_discurso_do_programa_Brasil_Urgente. Acesso em 16/11/2013.
Publicado
2014-11-18
Como Citar
Felix, Y., Lopes, A., & Figueiredo, V. (2014). Mídia e Processo Penal: a coexistência da liberdade de informar e o Princípio da Presunção de Inocência. Revista Da Faculdade De Direito De São Bernardo Do Campo, 20. Recuperado de https://revistas.direitosbc.br/index.php/fdsbc/article/view/19
Seção
Artigos